Notícias

O estresse pode causar mau hálito?

O estresse pode causar mau hálito?

O estresse no organismo é um conjunto de reações a agressões que podem ser físicas, psíquicas, infecciosas e outras, capazes de perturbar sua estabilidade. Em uma situação estressante, a pressão sanguínea sobe, os batimentos cardíacos aceleram, a respiração fica rápida, os músculos se contraem, ou seja, o indivíduo se prepara para uma fuga ou luta. Mas a luta ou fuga normalmente não ocorre e o corpo retém o excesso de adrenalina produzido. Quando esta situação se prolonga, o estresse passa a ser crônico.

 

Um dos muitos sinais do estresse é a boca seca (xerostomia – diminuição drástica do fluxo salivar), por sua vez, uma das principais causas da halitose, popularmente conhecida como mau hálito.

 

O nervosismo, as tensões e a ansiedade reduzem a produção de saliva, assim a auto-limpeza da boca, que acontece todas as vezes que engolimos, fica prejudicada, favorecendo a formação da saburra lingual – aquela massa esbranquiçada que se forma em cima da língua e libera odor desagradável.

 

A halitose é um problema que atinge quatro entre dez brasileiros. É um sintoma, não uma doença, que tem mais de 60 causas relacionadas. Na maioria dos casos, a halitose tem múltiplas causas e quase 90% delas estão na boca e não no estômago.

 

Alguns medicamentos de uso frequente podem causar xerostomia. Jejuns prolongados, diabetes não compensada, intestino preso, amigdalite e, principalmente, o estresse, são alguns exemplos de fatores não-bucais que podem levar à halitose.

 

A pessoa com halitose não percebe porque o organismo se acostuma com o odor. Então, se houver a suspeita, pergunte para alguém de confiança ou a uma criança se está sentindo mesmo o odor desagradável e procure um dentista. O tratamento começa com a descoberta das causas.

 

Camila Liberatti, dentista

 

Fonte: Folha de Londrina - PR

Voltar